Recentemente, a Receita Federal do Brasil – RFB publicou Solução de Consulta Cosit, com efeito vinculante, determinando que valores recebidos pelas empresas em decorrência da contratação de seguros não devem compor a base de cálculo do IRPJ, CSLL, PIS e Cofins não cumulativos.

O caso analisado pela RFB tratava de recebimento de seguro destinado a indenizar custos, despesas e antecipações a fornecedores, em decorrência de inadimplemento contratual.

Para não estar sujeita à tributação, a RFB entendeu que a indenização deve reparar o dano patrimonial até o montante efetivamente diminuído do patrimônio. Não caracteriza indenização, no entanto, na visão da RFB, o valor deduzido como despesa e recuperado posteriormente, devendo tal valor ser adicionado à base de cálculo dos tributos.

Na hipótese de existir ação judicial, os juros e a correção monetária incidentes a partir da citação do processo devem ser considerados como receita financeira e assim tributados.

Nossa equipe está à inteira disposição para esclarecimentos adicionais.

Tel.: +55 11 3931-5266
contato@crespogregio.com.br